CAUSO XVI - MEU FILHO ESTAVA MORTO E VOLTOU A VIVER

Ir em baixo

Re: CAUSO XVI - MEU FILHO ESTAVA MORTO E VOLTOU A VIVER

Mensagem por Betelita Brasileiro em Qui Mar 01, 2018 7:49 pm

ahhhhh ! Já estou na fila esperando ...depois de desfilar nas principais escolas de samba do Brasil , mereço um causo !!!
abraços amigo

Betelita Brasileiro

Mensagens : 5
Data de inscrição : 10/07/2017

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

NO AR

Mensagem por Admin em Ter Mar 06, 2018 4:09 am

CAUSO XVI - MEU FILHO ESTAVA MORTO E VOLTOU A VIVER
Meu filho, você sempre esteve comigo e todas as minhas coisas são suas. Mas nós simplesmente tivemos de festejar e nos alegrar, porque seu irmão estava morto e voltou a viver, estava perdido e foi achado.” — Lucas 15:31, 32.

Prezados já estamos chegando a metade dessa ultima temporada. Espero que estejam atentos as pegadas deixadas nos causos anteriores que nos conduzirá para um final emocionante. Lembre-se um príncipe já se foi, um já é, e um outro no futuro não será mais. (Que o leitor use de discernimento). O Causo reservado para esse capitulo é um que não somente nos traz a competência de nossos ansiosos mas também suas fragilidades. Lembre-se os heróis sangram!

Nosso amado príncipe, possuía um pequeno príncipe. Seu filho mais novo, um verdadeiro pródigo, criança exemplar, jovem a moda timoteano, tornou-se servo ministerial aos 19 anos para orgulho do seu grande pai. E “o menino continuava a crescer e a ficar forte, estando cheio de sabedoria, e o favor de Deus continuava com ele”. (Lu 2:40). Esse ancião também teve outros filhos, totalizando três heranças, ‘lindas flechas na mão do poderoso’ (salmo 127:4) Mas algo deu errado com o mini príncipe ao completar 20 anos de idade. É nessa fase que nos concentraremos na narrativa, ano de 2005 EC, em setembro para outubro. Veja a seguir o trailer, que prepara os vossos corações e logo após descubra a verdade de verdade. Um Causo que dedico aos pais tejotas!


O DESCENDENTE DA SEMENTE REBELA-SE

Nosso ancião chama-se, Abraão, Patriarca de uma família vitrinizada para os moldes da organização. Um de seus filhos é o Ismael, seu primogênito, tinha também sua filha a do meio, chamada Rebeca (Não participará desse capitulo) e o seu maior tesouro, o Caçula, qual recebestes o nome de Jacó* (alguns nomes foram mudados, na realidade ele se chamava Jim, como toda experiência retorica narrada em a sentinela).

Jacó com 20 anos de idade, tomou uma decisão que trouxe o  vitupério para sua família. Subitamente, após ter conseguido uma liberdade financeira, resolveu que iria sair de casa, ser independente e isso incluiria gozar do seu direito de escolher a qual deus iria servir. Realmente foi um choque para todos nós! Não esperávamos aquela reação. Transpassaram-se em muitas dores. O que na verdade desconhecíamos eram os segredos do coração de Jacó. Ele sempre olhava pela janela o mundo e as coisas dentro dele, o desejo dos olhos, a ostentação do meio de vida da pessoa. Nutriu em seu intimo uma amargura por não ter vivido uma vida chamada sua, numa atmosfera colorida e não em um universo de trevas, sem cor e sem sabor. Queria ter garotas ou garotos, sentir prazer e dar também. Sentia que estava sendo estrangulado no exercício do seu livre arbítrio. E nunca foi realmente feliz na Torre, contudo podemos elegia-lo por não desenvolver vida dupla, foi integro em quanto permaneceu na torre. Porém na hora de partir não fez cerimônia. Ele não olhou para atrás pois lembrava-se da mulher de ló.
Talvez esteja raciocinando, provavelmente ele será desassociado, seu pai e toda sua família os entregarão aos anciãos que vos lançarão no mar do ostracismo! Mas é agora que começa nosso aprendizado. A reação de Abraão, mostra que apesar de amar a torre, proteger seu filho, estava acima de tudo, até mesmo de não delata-lo para organização. Durante meses ele conseguiu e foi bem sucedido nisso, porém, tínhamos o Ismael, que não recebia o mesmo tratamento que seu irmão, o cara teve que ralar muito para ser reconhecido e começar a gozar de suas prerrogativas. Quando Jacó partiu, ele não resolveu sua situação na congregação. Depois de um tempo Ismael chamou os anciãos e deu uma dica do paradeiro de seu irmão. Pressionado, Abraão diz não ter detalhes e passou o contato de seu pródigo. Algumas fotos no Orkut ajudaram. Por telefone mesmo, os senhores lideres do Ku Klux Klan deram ajuda espiritual ao rapaz (Desassociação). Isso não fez diferença na vida dele. O mesmo nem compareceu em sua comissão judicativa
Passam-se 'tempo, tempos e a metade de tempos'(Apoc 12:14) Por onde andarás o menino? O que ele faz da vida? Conseguiu realizar seus desejos? Sim prezado leitor! Jacó pôde usufruir plenamente a vida. Seu gosto era pelas  meninas, e o danado tinha um bom gosto, experimentou tudo o que o dinheiro podia comprar nesse quesito. Não faço analogia as profissionais autônomas que prestam um serviço solidário a nação. Quero dizer que o dinheiro de sua poupança e seu bom salario deram condições de estar associado a pessoas muito prazerosas. Foram momentos de muito êxtase, loucuras, descobertas e próprias escolhas. Drogas, aniversários, shows, carnaval,aniversários, natal, baile funk com as novinhas, beijo grego, meninas lésbicas e tudo mais. Nosso pródigo explodia testosterona, envolveu-se até com uma mulher casada e o inferno conheceu pela primeira vez, violência e estupro do seu corpo, vocês vão ver eu vou pegar vocês.

A desassociação afligia o coração do patriarca Abraão. E mais uma vez, não resistiu aos impulsos de seu amor paternal e por diversas vezes ligava para o Jacó, expressando seu amor e aconselhando para voltar para Jeová antes do grande e atemorizante dia. O velho príncipe não perdeu seus privilégios, nem mesmo por acobertar seu filho. Não participei do caso, não sei quais foram os argumentos jurídicos para salva-lo da remoção de sua estrela como príncipe. Se houveram trocas de favores ou monetização de alguns projetos, talvez, justificaria a anuência dos homens. Abraão era um rico homem de muitas posses.

FARELOS COM OS PORCOS
Quando já tinha gastado tudo, ocorreu uma fome severa em todo aquele país, e ele começou a passar necessidade. Ele até mesmo se pôs a serviço de um dos cidadãos daquele país, que o enviou aos seus campos para cuidar de porcos. E ele desejava matar a fome com as alfarrobas que os porcos comiam, mas ninguém lhe dava nada.” — Lucas 15:14-16.

Passam-se 'tempo, tempos e a metade de tempos' (Apoc 12:14). Como eu gostaria que esse história fosse diferente, mas teremos que concordar com a torre e a trajetória do Jacó. Em meados de dezembro de 2008. Estoura uma crise mundial! Aquela marolinha conforme nosso chefe do poder executivo na época afirmou. Muito desemprego, fabricas fechando as portas e gente perdendo dinheiro. Nosso amigo Jacó,  perdeu seu emprego que havia conseguido por indicação de um cliente de seu pai. O salario era muito bom, para alguém sem formação superior. Jacó foi  bitolado, resolveu ser pioneiro, não estudou, não planejou seu futuro. Agora foi cobrado por isso. Não conseguiu encontrar emprego, foi gastando tudo que tinha, sua queda financeira foi rápida, e desesperadora. Morava de aluguel, foi vendendo tudo o que tinha dentro de seu apartamento para se manter. Mal administrador, ganhou alguns meses, mas não dava, foi despejado e acolhido por um amigo do mundo. A busca por emprego era incessante e não lograva êxito. Os amigos começaram a abandona-lo e aquele que havia oferecido um teto, mostrou-lhe a porta da rua que é a serventia da casa. Ele humilhou-se para não ser lançado fora. Em vão, que tem filho barbudo é macaco e ele não iria sustenta-lo.

Jacó vagueou pelas ruas, experimentou drogas mais fortes, pediu esmola e até tentou realizar pequenos delitos. Mas apesar de tudo, sua consciência não permitia ser desonesto. A fome era severa no país. Nas ruas o relógio anda diferente. “E ele desejava matar a fome com as alfarrobas que os porcos comiam, mas ninguém lhe dava nada.” Doente, fraco e faminto, suspirou e clamou ao Deus de Abraaão, Isaque e Jacó: ABA por que me abandonaste? E se lembrou de quando era criança de tudo que vivera até a li, e decidiu entrar de vez naquela dança, se via cruzes virou circo estou aqui. Após, esse dejavu, pensou em seu coração que a melhor coisa a fazer era voltar para casa de seu pai e pro Deus de seus antepassados. Não titubeou quando quando remetido ao cheiro do feijão de sua mãe e em suas lembranças aquele lá era o lugar mais seguro que conhecestes. O final já conhecemos e está na bíblia.(lucas 15) Vou resumir esse final para vocês não quero mais tomar vossos preciosos tempos.
De longe, abraão avistou seu pródigo, e não numa cena épica de oscar, fizeram um reencontro mais emocionante que se tenha relato. Abraão perdou seu filho. E o acolheu de volta. Não houve festa, pois o menino estava desassociado (modo de dizer era um homem já com 23/24 anos). Para não implicar nas orientações da torre abraão usou de sabedoria. [Carta sobre filhos fornicadores Clique Aqui!] Dividiu seu terreno, subiu um muro e inciou uma construção aos fundos. Em paralelo, alugou a casa do vizinho do lado e acomodou seu filho. Juntos com sua esposa a Sarai, alimentaram por meses, deram abrigo, roupas novas, auxilio palitó e bolsa estudos. Na calada da madrugada, Sarai, arrumava a cama do menino e leva muda de roupa nova.

Jacó Voltou a reunir-se. Não perdia uma reunião. De gravata, com a sentinela preparada, sempre na frente, não demorou seu retorno para torre, 'quatro' meses de frequência na reunião lhe renderam a readmissão. E que noite gloriosa a do anuncio. Muito choros no salão, incluindo as irmãs virgens que vibravam com seus grelos enrijecidos  a chegada de mais um varão. Houve uma bela recreação em homenagem ao seu retorno, a biblia nos diz que haverá bastante alegria nos ceus quando um pecado se arrepende, gostaria que adicionasse uma emenda constitucional nesse relato, a alegria na casa do Abraão com direito a voz e violão de parodias do reino, foi muito maior que alegria sentida pelos anjos. Alguém não entrou na alegria do Pai, a atitude cínica e recompensa dada ao Jacó. Claro, e foi o Ismael, que por anos tivera sido um filho dedicado e nunca recebeu o devido reconhecimento proporcional de seu Pai. “O filho entendido observa a lei.” — Provérbios 28:7.

Mas diferente da ilustração do filho pródigo, que é nosso Drama profético sem a reação final do filho do irmão pródigo, posso vos contar o posicionamento de Ismael. Ele era humano, jurisnaturalista, metafisico e não suportou continuar a fazer parte daquela família. Na verdade ele o Ismael já havia criado o seu ninho. Com mais de trinta e cinco anos, já era um ancião também, e tinha sua própria semente. Cortou os laços achegados com os familiares Abraão, Sarai, Rebeca e Jacó. Foi viver sua própria vida em uma congregação bem longe de todos. Será que estava certo em agir assim? Não teria sido ele um grande egoísta e não um verdadeiro perdoador? Não sei dizer meus queridos leitores, mas tenho uma certa empatia pelo Ismael. Talvez precise melhorar, reajustar meu coração e aprender o verdadeiro perdão. Contudo, conhecer o presente de Jacó ,talvez lhe cause indignação. Habilitou-se como ancião congregacional, formado, com nível superior, está torturando os jovens congregacionais e suas ansiedades da vida. Espalhando terror junto com seu Pai, aprisionando e ostracizando pessoas. Casou-se com uma bela mulher fruta. Com lua de mel paga pelo abraão, em Maragogi, o caribe brasileiro. Nossa como eu queria estar ali, no lugar de Jacó, com aquela musa carnuda e suculenta.[Pausa para empinar pipa]

Lição: Não sei o que dizer. Talvez a história apesar de similaridade com a ilustração de nosso amo Jesus, teve um desfecho, não equitativo ao relato original que ficou aberto. Gostaria de contar com sua reflexão e seu poder de hermenêutica para ajudar-me nas considerações finais desse CAUSO.

Se alguém está mimando o seu servo desde a infância, este se tornará posteriormente na vida até mesmo um ingrato.” (Provérbios 29:21)

Coisas estranhas estão acontecendo comigo, começo a temer pela própria vida, visões atormentadoras tomam conta de minha mente [Que o leitor use de discernimento!]

NOTA: Não deixe de conferir a seção: CARTAS E DOCUMENTOS RESTRITOS, na pagina inicial. vou atualiza-la semanalmente.

Admin
Admin

Mensagens : 28
Data de inscrição : 15/06/2017

Ver perfil do usuário http://jwvc.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: CAUSO XVI - MEU FILHO ESTAVA MORTO E VOLTOU A VIVER

Mensagem por Dunha Palestrino em Qua Mar 07, 2018 7:12 pm

Uma das vantagens de ser TJ, mas com grana, porque dureza é propaganda de Viagra, é escolher a fêmea desejada das várias à disposição, de todos os sabores, texturas e fragrâncias. Menos concorrência e maior oferta do produto.

Dunha Palestrino

Mensagens : 4
Data de inscrição : 18/06/2017

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: CAUSO XVI - MEU FILHO ESTAVA MORTO E VOLTOU A VIVER

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum