CAUSO XIV - A MORTE DO BODE VÉIO

Ir em baixo

CAUSO XIV - A MORTE DO BODE VÉIO

Mensagem por Admin em Dom Fev 04, 2018 12:17 am

OLD BODE IS DEAD ( A MORTE DO BODE VÉIO)
"E, estando eu considerando, eis que um bode vinha do ocidente sobre toda a terra, mas sem tocar no chão; e aquele bode tinha um chifre insigne entre os olhos.E o bode se engrandeceu sobremaneira; mas, estando na sua maior força, aquele grande chifre foi quebrado; e no seu lugar subiram outros quatro também insignes, para os quatro ventos do céu" Daniel 8:5, 8

Um dos perfis encontrados, nas aproximadamente, 111 mil congregações das testemunhas de Jeová, são os lideres com uma característica forte em sua impessoalidade e analogamente o comparamos a um BODE VÉIO. No Causo VI, narrei-vos, sobre esse príncipe e os aspectos turrões de sua personalidade. São orgulhosos, ignorantes e faziam parte de uma ditadura congregacional. O BODE, tornou-se um inimigo implacável na caça de minha insígnia. Os Bodes Veios, em geral, são aqueles idosos Anciãos, bem avançados na corrida da vida, com mais de 70 anos de idade, homens que giraram bastante a roda gigante do carro organizacional da torre, contudo,ficaram para trás, não se adaptaram as novas tecnologias (Caixa de entrada jw, pdf, word e jwlibrary), mas  resistem em suas posições como príncipes, apesar de serem excluídos das principais atividades de destaque na congregação. Como coordenadores são educadamente convidados a deixarem o encabeçamento após os 70 anos de idade e a cada primavera são lhe postas restrições.  Para você que acompanhou os outros Causos, quero vos informar sem arrodeio, que; nosso quase centenário Bode Veio, terminou sua carreira terrestre. Apesar de sua muita insistência em não provar do sal amargo dessa terra, ou Bode partiu dessa, e ,segundo professava, com base em sua esperança celestial, agora está naquela equipe de 134.000 mil guerreiros ao lado de nosso senhor. (Apocalipse 14:1,3 Lemos o numero completo) Só faltam 10.000 para selarmos o time, são os que ainda jaz aqui na terra! Parece que o Bode não queria ir, queria ficar aqui e ver a grande tribulação e subir direto numa nuvem voadora, mas narro-vos com um sentimento de pesar e alivio, a partir de agora, os momentos de sua emocionante despedida.

NUM PISCAR DE OLHOS
"Nem todos adormeceremos na morte, mas todos seremos transformados, num momento, num piscar de olhos, durante o toque da última trombeta..." 1 corintios 15:51b-52

Acho que foi assim, indolor, sem sofrimento, que nosso sacerdote (Ex-escravo fiel e discreto) terminou sua jornada terrestre. Ele provavelmente ouviu o apito final, precedido da inebriante voz do Rutheford, que convidativamente o chamava para saborear a cana da vida onde jamais voltaria a sentir a sede do álcool. Numa terça-feira, a tarde, de muito calor, novembro de 2017, apagou-se o candelabro do Bode. Foram mais de cinquenta anos como ancião congregacional. Na sua deficiência técnica, tornou-se perito no abuso de autoridade e poder, que lhes foram concedidos como ancião da torre. Ainda menino, tomado pela força de um impulso inenarrável, o nosso príncipe, provou do fruto da videira e saboreou o  não fermentado pão/bolacha do novo pacto. Foram ininterruptos quase oitenta anos apreciando as iguarias do memorial (comemoração ou celebração). Guloso e fanfarrão a refeição noturna era um momento festivo para ele. ["Quando vocês se reúnem, não é realmente para tomar a Ceia do Senhor. Pois, na hora de tomá-la, vocês comem primeiro o seu próprio jantar, de modo que um está com fome, mas outro está embriagado. Será que vocês não têm casa para comer e beber? Ou desprezam a congregação de Deus e fazem aqueles que não têm nada se sentir envergonhados? O que posso dizer a vocês? Devo elogiá-los? Nisso não os elogio."1 corintios 11:20-21)
Voltando, àquela terça-feira, triste de sua partida, recebi um zap de um membro de minha antiga congregação, seu texto dizia que o querido BODE, finalmente estava ao lado do cordeiro de Deus. Nessa mesma mensagem, tinha o horário e o local do discurso fúnebre, esboço esse que era especial, pois se tratava de um irmão de cristo! Não vos negarei que movido pela força do ressentimento e por muita falta de afinidade pessoal, não queria estar nas póstumas despedidas ao servo ungido de Deus. Mesmo assim, preparei o meu melhor terno preto, gravata neutra, e fui dar o ultimo Adeus a esse príncipe.
O Bode escolheu um dia ruim para investir na luz do fim do túnel. Meio de semana, dia de reunião, seu discurso foi posterior ao dia de sua ascensão, numa quarta-feira pela manhã. Tinham pressa em desfazer-se daquele homem. Para minha surpresa, o salão do reino estava ,muito vazio, nosso príncipe era um homem pobre, sem influencia ou prestigio, amargo e rancoroso. Além disso, por ser quase um centenário, a maioria de seus contemporâneos, não existiam mais ou haviam sidos transferidos. Podemos traçar um paralelo e ver que o Bode, pode ver de perto aquela primeira geração de 1914, mas coercitivamente passou a ser um observador da segunda geração, que foi contemporânea a primeira. Resumindo, só tem ele e o David Sinclair atualmente vivos (Veja w17 p13-15,Biografia do David Sinclair). Já quase não gozava de parentes nesse mundo. Sua família era a congregação. Só que o excesso de assentos vazios, naquele salão, refletiam a parcialidade e o favoritismo dentro da organização. Isso me incomodou. Quase não tinha alguém para ser entrevistado durante o discurso fúnebre e nos contar sobre a vida abnegada do Bode. Estava sobrando até para mim. Mas felizmente, encontraram um irmão, que as pressas, subiu para dizer o quanto o Bode foi importante e que recebeu muito treinamento prático para ser ancião, o velho bode foi um  COACH em sua carreira na torre. Para mim seria muita hipocrisia, não me levem a mal, me dirigir a falar de alguém que não me suportava e a reciprocidade era verdadeira. Aguardava com expectativa a palestra, pois por se tratar de um irmão que professava ser ungido (individuo dotado da vida celestial) uma parte dessa conferência teria que ser dirigida a promessa do Bode estar nesse momento no céu (Notas: S_32 Discurso Fúnebre). Fiquei muito reflexivo e introspectivo no memorial do Bode Veio. Não por um enlutamento mas a miserabilidade do ser humano era algo maior que tocava-me profundamente, tal qual um exame de próstata feito por médico com dedos grossos . Em fim, após um baixo coro do cântico intitulado: Ele chamará (Não entendi o por quê?) Acabou-se o discurso. Apressei-me para olhar pela ultima vez aquele aposentado general da torre. Lembro-me impactadamente de sua feição, pensei que encontraria um semblante sorridente e aliviado. Um defunto com um belo sorriso e ares de satisfação. Nada disso. O rosto do bode em seu palitó de madeira, expressava preocupação. Será que a receptividade lá em cima não foi muito boa? Teria nosso amigo Rutherford lhe negado uma porção do seu melhor whisky irlandês ou haviam esgotada a cana da vida? Admito fiquei receoso, foi uma confusão mental, um misto de sentimentos.
Fomos até a capela do cemitério. O orador resolveu ainda proferir uma ultima sentença de seu discurso. Novamente a falar de vida eterna e de levantar-se outra vez. Como ainda não havíamos engavetado o lord, aproveitei daquele ultimo momento de dispersão, e, abruptamente, peguei um pedaço de tijolo, pois resolvi marcar a caixa sagrada que guardava o corpo do Bode. Escrevi com letras tortas, as iniciais que representava um nome forte na minha vida dissidente. Arranhei o caixão do bode com as duas letras atormentadoras para os apologistas da torre: A.B. [que o leitor use de discernimento
LIÇÃO: "Um bom nome é melhor do que um bom óleo, e o dia da morte é melhor do que o dia do nascimento. Melhor é ir a uma casa onde há luto do que ir a uma casa onde há festa, pois a morte é o fim de todo homem, e quem está vivo deve refletir sobre isso." Eclesiastes 7:1-2
Não me cabe decidir, para onde vai aquele ou aquele outro irmão. Sua esperança é o que lhe sustenta. Apesar de sabermos que a base de toda sua fé é fantasiosa e contraditória. Realmente acredito na bíblia e no novo pacto estabelecido por cristo Jesus. Mas determinar quem são ou quantos membros compõem, para onde eu vou, não tive a capacidade de compreender nas escrituras. E achar minhas próprias respostas. Após o discurso do Bode, eu fiquei muito comovido. Um sentimento de revolta pela falta de apreço a vida humana. Como somos corruptos e nos adaptamos a aquilo que é conveniente. A baixa assistência no memorial do Bode, refletiu o egoísmo de nossas vidas e a comodidade quando aquilo não nos convém. Não é um privilegio apenas das testemunhas de Jeová, mas definitivamente essa congregação mundial precisa de ajuda, precisam de refinamentos, e tirarem o véu que cega não as vistas, mas sim o coração. Devemos para de prestigiar aqueles que podem nos retribuir socialmente. No final não levaremos nada com a gente e o que deixaremos para ser lembrados? Qual o nosso legado? Mas até pensar nisso é uma tremenda vaidade.

Eu sinto que minha vida mudou com a partida do Bode. Para ele eu era um desafeto. Alguém que o incomodava e o rebaixava. Talvez em alguns momentos tenha passado do limite com essa autarquia. Sinto sua presença em minha vida, tenho certeza, que se não houveram desvio de rotas em seu caminho, assim que chegou lá e pegou suas roupagem celestial, e não mediu esforços para atacar-me. Prova disso, é esse reajuste desgraçado da gasolina que já está beirando os R$5,00 reais, o Bode sabia que Eu era um motorista Uber e meus lucros seriam fortemente reduzidos com esses reajustes semanais. A pa-rou-s-i-a do Bode é ainda mais forte. Um outro dia, estava chovendo muito, e a pé procurava desviar-me das poças de lamas, quando miraculosamente uma poça mudou-se de lugar e fui tragado pelo buraco. Sei que quando foi empossado, nosso velho príncipe, vem trabalhando dia e noite, fazendo todos os esforços para destruir minha vida acadêmica na dissidência, em outro episódio surreal, que vos narrarei no ultimo CAUSO (XIX), vocês verão que é indiscutível a sua interferência sobrenatural e que seu rancor transcendeu as fronteiras dos universos e cosmos. [Que o leitor use de discernimento]



Última edição por Admin em Sex Fev 09, 2018 5:12 pm, editado 15 vez(es)

Admin
Admin

Mensagens : 28
Data de inscrição : 15/06/2017

Ver perfil do usuário http://jwvc.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: CAUSO XIV - A MORTE DO BODE VÉIO

Mensagem por CONDE DE MONTE CRISTO em Qui Fev 08, 2018 12:24 pm

Gostei de mais de lê. Estava com saudades !

CONDE DE MONTE CRISTO

Mensagens : 7
Data de inscrição : 19/06/2017

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: CAUSO XIV - A MORTE DO BODE VÉIO

Mensagem por Betelita Brasileiro em Seg Fev 19, 2018 2:37 pm

Parabéns meu amigo ! amei o causo já estava com saudades !!!
Um causo que nos leva a reflexão !!! Como estou usando minha vida ?
Porque infelizmente , ou felizmente talvez esse é o destino certo de todos nós !
Esse causo me fez lembrar a música :
" Ainda que eu falasse a língua dos homens, e falasse a língua dos anjos sem amor eu nada seria .... Estou acordado e todos dormem ...agora vejo em parte .. mas então veremos face a face .. é só o amor , é só o amor que conhece o que é verdade "
abraços a todos

Betelita Brasileiro

Mensagens : 5
Data de inscrição : 10/07/2017

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: CAUSO XIV - A MORTE DO BODE VÉIO

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum